NO AR
Programa: Ponte na Madrugada

Ex-lutador de MMA volta a ser detido na Câmara de Balneário Camboriú após agressão

Ele é marido da vereadora Juliethe Nitz (PR) e também se envolveu em confusão na Casa em março deste ano.

O ex-lutador de MMA Juliano de Pin Wandelen, o "Juliano Ninja", foi detido na noite de terça-feira (23) após agredir o assessor parlamentar Samuel Rodrigues na Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú, no Litoral Norte catarinense. Câmeras de segurança registraram o momento que ele derruba o homem, por duas vezes (veja acima).

Juliano Ninja já havia sido detido em 20 de março por agressão e desacato na Câmara de Vereadores. Na época, a confusão foi com o vereador Elizeu Pereira (MDB). Ele teria ido ao local para tirar satisfações com o parlamentar sobre um possível assédio contra a esposa, que é vereadora, Juliethe Nitz (PR).
A Câmara de Vereadores de Balneário Camboriú afirmou que a presidência acionou o departamento jurídico para requerer junto ao judiciário uma medida protetiva, no sentido de coibir a aproximação dele da Casa legislativa.

Agressão nos corredores

Desta vez, quem foi agredido é um assessor parlamentar que, desde o episódio de março, entrou com uma representação para pedir que o Juliano fosse impedido de entrar na Câmara de Vereadores.
"Na época que eu tentei apartar a situação, eu me posicionei contra essa atitude dentro da Câmara. Desde então ele me marcou", disse Juliano. O assessor parlamentar diz que vinha recebendo provocações do ex-lutador. Na noite de terça, ele estava na Câmara para acompanhar um projeto da vereadora Juliethe.

"Eu fui para o meu gabinete, que fica em um beco, e ele estava sentado em um sofá. Ele chegou me xingando. Ele tirou satisfações de uma frase que eu disse, e repito, que falei na época. Falei que se eu tivesse uma arma atiraria nele, para parar com aquilo dentro da Câmara", disse.
À Polícia Civil, o ex-lutador disse que o ato foi para tirar satisfação das ameaças que vem recebendo do assessor parlamentar. Juliano confirmou a reportagem da NSC TV que Samuel o ameaçou a atirar contra ele, por isso prefere "responder um processo vivo do que ser morto".

Após o confronto, o assessor parlamentar foi para o Hospital Municipal Ruth Cardoso com dores na cabeça e coluna, mas não sofreu fraturas. Na manhã desta quarta-feira (24), diz sentir dores e que irá buscar um neorologista.


O lutador foi levado para delegacia algemado, assinou um Termo Circunstanciado e deve comparecer a uma audiência em 1º de novembro. Segundo a Polícia Civil, Juliano tem 14 boletins de ocorrência registrados como autor: violência doméstica, ameaça, injúria e lesão corporal.

Fonte: G1 SC
 
 

Ao Vivo

Trânsito Agora

Tempo