NO AR
Programa: Bem Sertanejo

Vítimas de acidente com voo da Chapecoense são homenageadas em missa em Chapecó

Cerimônia ocorreu na Catedral Santo Antônio. Setenta e um morreram e seis ficaram feridos em queda de avião em 2016.

Uma missa na noite desta quarta-feira (29) na Catedral Santo Antônio, em Chapecó, no Oeste catarinense, fez homenagem às vítimas do acidente aéreo com a delegação da Chapecoense, que aconteceu há um ano. Torcedores acompanharam a cerimônia. Setenta e um morreram e seis ficaram feridos na queda do avião.

Por volta das 18h, o público começava a chegar na igreja. O altar está decorado com 71 velas desde a madrugada desta quarta, em homenagens aos 71 mortos no acidente. Durante todo o dia, catedral esteve aberta e recebeu quem queria prestar condolências.

Pouco depois das 18h30, a missa começou. O atual técnico da Chapecoense, Gilson Kleina, participa da cerimônia. A bandeira do time foi colocada no altar. A catedral não comportou todos que queria assistir à missa. Houve que ficou do lado de fora da igreja. Perto das 19h55, a missa terminou.

Depois da missa, muitos torcedores seguiram para a Arena Condá. Durante todo o dia, o estádio recebeu pessoas que queriam prestar suas homenagens.

Perto das 20h30, o gramado da Arena se iluminou com 71 canhões de luz, que apontaram para uma única flor. Às 21h, os portões foram fechados e as pessoas deixaram o estádio.

Cerimônia reliogiosa na noite de terça 

Na noite de terça (28) e madrugada desta quarta, já foram feitas homenagens. Pouco depois da meia-noite desta quarta, uma cerimônia católica foi realizada na Arena Condá, estádio da Chapecoense, em Chapecó. Torcedores e familiares dos mortos acompanharam a cerimônia religiosa.

Uma capela improvisada foi montada na arquibancada da Arena Condá. As famílias das vítimas tiveram um espaço reservado para as orações. No restante das arquibancadas do estádio, torcedores acompanharam a cerimônia.

As famílias das vítimas receberam velas verdes, que simbolizam a vida que nunca acaba. Elas iluminaram a procissão até a Catedral Santo Antônio, no Centro de Chapecó.

Durante a cerimônia católica, os presentes ouviram músicas tradicionais litúrgicas e cantaram o famoso grito de torcida do time, "vamos, vamos, Chape".

Pouco depois de 0h20 desta quarta, os presentes começaram a deixar a Arena Condá e teve início a procissão. A caminhada até a catedral foi silenciosa. Pouco depois de 0h45, o cortejo chegou ao destino.

Na catedral, o sobrevivente da queda do avião Rafael Henzel foi aplaudido pelo público. O jornalista foi responsável pela oração no altar. Em um telão, foram mostradas imagens das vítimas que morreram no acidente. Foram acesas 71 velas no altar.

À 1h15, horário da queda do avião há um ano, os sinos da catedral tocaram. Eles foram ouvidos em meio ao silêncio dos presentes. Alguns choravam.

Pouco depois de 1h30, a cerimônia católica terminou com o hino da Chapecoense e o grito de torcida "vamos, vamos, Chape".


 Homenagem de torcida organizada
 
Mais cedo, ainda na noite de terça, torcedores da torcida organizada Barra da Chape começaram as homenagens às vítimas do acidente. Por volta das 19h30, eles se reuniram em frente à Catedral Santo Antônio, no Centro de Chapecó. Às 20h, eles iniciaram uma caminhada em direção à Arena Condá, onde chegaram por volta das 21h.

Os torcedores levaram sinalizadores e bandeiras, e as homenagens feitas por eles lembraram uma festa de torcida. Enquanto caminhavam, a maioria com camisas do time, eles carregavam faixas com dizeres como “eternos campeões”, “jamais esqueceremos e por vocês sempre cantaremos” e “sempre recordaremos a campeã Chapecoense”.

Quando chegaram à Arena Condá, os torcedores pararam os gritos e as músicas e entraram em silêncio no estádio. A torcida Barra da Chape se posicionou na arquibancada no mesmo lugar onde ficam para assistir aos jogos, mas em silêncio.

Por volta das 21h50, os torcedores começaram a cantar e acender sinalizadores na Arena Condá. Nesta terça, o estádio ficou aberto o dia todo para receber quem quisesse prestar condolências.

Homenagens na Colômbia
 
Na terça, a Chapecoense também foi homenageada na Colômbia. Uma missa foi realizada no monte que agora leva o nome da Chapecoense, local onde restou a fuselagem do avião. Um altar foi levantado. Duas cruzes de madeira dominavam a vista de dezenas de pessoas que compareceram com a camisa do Atlético Nacional, time que jogaria contra os catarinenses na final da Copa Sul-Americana em novembro de 2016.

Mais cedo, no parque em La Unión, cidade onde ocorreu a queda do avião, a Chapecoense foi homenageada com uma placa e uma cápsula do tempo, contendo uma camisa do Atlético Nacional.

Fonte: G1 SC

 

Ao Vivo

Trânsito Agora

Tempo